Departamento de Justiça dos EUA processa Walmart por crise de opioides

·1 minuto de leitura
O Departamento de Justiça dos EUA processou o Walmart

O Departamento de Justiça dos EUA processou o Walmart nesta terça-feira (22) por seu papel na chamada crise de opioides, alegando que o gigante do varejo preenchia prescrições incorretamente e piorava um desastre de saúde pública.

O governo acusa o Walmart de tratamento irresponsável de pedidos, enviando milhares de receitas "inválidas".

As autoridades podem exigir bilhões de dólares em penalidades no litígio que se seguiu a uma investigação de vários anos, disse o Departamento de Justiça em um comunicado à imprensa.

"Como uma das maiores redes de farmácias e distribuidores atacadistas de medicamentos do país, o Walmart tinha a responsabilidade e os meios para ajudar a prevenir o desvio de opioides prescritos", disse Jeffrey Bossert Clark, diretor interino da divisão civil do DOJ.

"Em vez disso, durante anos ele fez o oposto: preencheu milhares de receitas inválidas em suas farmácias e não relatou pedidos suspeitos de opiáceos e outros medicamentos feitos por essas farmácias."

O Walmart não respondeu imediatamente a um pedido de comentário, mas a maior empresa de varejo do mundo entrou com seu próprio processo contra o Departamento de Justiça em outubro, no qual argumentou que a repressão nos EUA o colocou em uma posição sem saída e denunciou o tratamento injusto do governo para torná-lo responsável pelo consumo excessivo dessas drogas altamente viciantes.

Os farmacêuticos "devem tomar uma decisão difícil" entre aceitar o julgamento médico de um profissional e prescrever a receita de opioides, ou questionar o julgamento profissional e se recusar a fazê-lo.

jmb/hs/llu/dga/ap/jc