Depois da Ambev, cerveja Heineken pode ficar mais cara

·1 min de leitura
Cervejas Heineken
Relatório da companhia aponta que reajustes estão sendo analisados

(Getty Images)

  • Heineken está estudando aumentar o preço das cervejas 

  • Movimento seguiria o tomado pela Ambev no começo de outubro

  • Desde o começo deste mês, chopes e cervejas ficaram até 6% mais caros

Os consumidores que desejarem beber cerveja poderão ter que desembolsar valores mais altos na compra do produto. Isso porque a Heineken está estudando um reajuste de preço, tendo em vista o atual cenário econômico incerto.

A notícia foi exposta no relatório de resultados da cervejaria holandesa, no qual o presidente global, Dolf van den Brink, afirmou que está escolhendo “abordagens assertivas de preços e custos” no mercado.

Leia também:

Na época em que a Ambev anunciou o aumento no preço das cervejas, o Valor Econômico contatou a Heineken, mas a companhia informou não haver uma previsão de aumento nos preços no último trimestre deste ano.

Bebida fica até 6% mais cara

No começo de outubro, a Ambev, dona de marcas como Skol, Brahma, Antarctica, Bohemia e Stella Artois, elevou o preço de chopes e cervejas em 5% a 6%, incluindo embalagens descartáveis.

De acordo com o comunicado emitido pela empresa, o reajuste segue, "em linhas gerais, a variação da inflação, variação de custos, câmbio e carga tributária”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos