Depois de deixar a seleção do Peru, Ricardo Gareca assumirá o Equador, diz jornal

O cargo de técnico da seleção do Equador não ficou vago por muito tempo. Na última semana, a Federação Equatoriana de Futebol anunciou a saída de Gustavo Alfaro, que conseguiu a classificação para a Copa do Mundo do Catar, mas a equipe foi eliminada na primeira fase da competição. De acordo com o jornal espanhol As, Ricardo Gareca, que deixou a seleção do Peru em julho de 2022, já acertou o vínculo com a seleção equatoriana, e deve iniciar os trabalhos ainda neste mês.

Depois de sete anos à frente do Peru, entre 2015 e 2022, o argentino de 60 anos tem como o maior expoente de seu trabalho a classificação da seleção para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018, quebrando um jejum de 36 anos sem participações no Mundial. E chegou perto de repetir o feito no ano passado, mas perdeu na repescagem para a Austrália, nos pênaltis, e a seleção peruana ficou de fora da competição.

Outra campanha de sucesso foi durante a Copa América de 2019, quando o Peru ficou com o vice-campeonato após ser derrotado pelo Brasil na final. Na competição, eliminou Colômbia, Uruguai e Chile, seleções melhores colocadas no ranking da Fifa, se recuperando depois da goleada por 5 a 0 que sofreu do Brasil na primeira fase.

Ele deixou a seleção com 48.6% de aproveitamento: foram 96 jogos, com 39 vitórias, 23 empates e 34 derrotas. O número é parecido com o do antecessor: Alfaro comando 35 jogos da seleção do Equador, com 12 vitórias, 14 empates e 9 derrotas, com um aproveitamento de 47.6%.

Gareca também já teve passagem pelo Brasil, no Palmeiras. Entre 2014, ele comandou o alviverde por 13 jogos, mas as 8 derrotas o fizeram ser demitido na curta passagem pelo clube.