Depois dos atrasos provocados por pandemia e apagão, Macapá vai conhecer novo prefeito

André de Souza
·3 minuto de leitura
Reprodução/Facebook

BRASÍLIA - Primeiro foi a pandemia de covid-19, que adiou as eleições em todo o país. Depois um apagão e problemas na segurança pública que atrasaram ainda mais o pleito local. Mas neste domingo (20), finalmente os habitantes de Macapá vão conhecer seu novo prefeito.

Pesquisa Ibope divulgada na última quinta-feira mostrou Dr Furlan (Cidadania) com 54% dos votos válidos e Josiel Alcolumbre (DEM), irmão do presidente do Senado, Davi Alcoolumbre, com 46%. Como o levantamento tem margem de erro de quatro pontos percentuais para mais ou para menos, não é possível garantir que Furlan está em primeiro lugar.

Leia também

No primeiro turno, ocorrido em 6 de dezembro, Josiel terminou em primeiro lugar, com 29,47% dos votos válidos, e Dr Furlan em segundo, com 16,03%. Mas uma simulação de segundo turno divulgada dois dias antes já mostrava uma ligeira vantagem para Dr Furlan, embora dentro da margem de erro de quatro pontos. Na época, o Ibope dava 42% para o candidato do Cidadania, e 40% para o irmão do presidente do Senado, enquanto o restante era de brancos, nulos e indecisos.

Uma das menores capitais do país, Macapá teve uma eleição que atraiu mais atenção nacional do que de costume. Contribuíram para isso o apagão que atingiu a cidade a maior parte do Amapá em novembro, e a presença do irmão de um dos principais ocupantes de cargos públicos no país.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), se engajou na campanha, articulando uma ampla coligação. Josiel também é apoiado pelo atual prefeito, Clécio Luis (sem partido), e pelo governador do Amapá, Waldez Goes (PDT).

Dr Furlan, que tem formação como médico, está no terceiro mandato de deputado estadual. Ele usou em sua campanha o discurso da renovação, com críticas às famílias que dominam a política local.

As eleições no Brasil são realizadas no primeiro e no último domingo de outubro, quando ocorrem respectivamente o primeiro e o segundo turno. Este ano, em razão da pandemia, as eleições foram em 15 e 29 de novembro. Em Macapá, o apagão fez com que as datas escolhidas fossem 6 e 20 de dezembro.

Em novembro, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, suspendeu a eleição em Macapá a pedido do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Amapá. Em ofício ao TSE, o TRE informou que, em razão dos problemas no abastecimento de energia no estado, havia risco à segurança da eleição. Em nova decisão, o TSE marcou as eleições para 13 de dezembro - o primeiro turno - e 27 de dezembro - o segundo turno. Depois, a pedido dos candidatos, adiantou as datas em uma semana.

A Pesquisa Ibope divulgada na última quinta-feira foi encomendada pela Rede Amazônica, afiliada da TV Globo. Foram ouvidos 602 eleitores entre 15 e 17 de dezembro de 2020. A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral com o número AP‐06222/2020. Quando considerados os votos nulos, brancos e indecisos, Dr Furlan tem 49% e Josiel 42%.