Depois de fake news sobre igrejas, Lula quer juntar 5.000 evangélicos no Rio

***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 22.08.2022 - o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 22.08.2022 - o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Depois de ser alvo de fake news sobre o fechamento de igrejas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) quer reuniu 5.000 evangélicos com uma agenda no Rio de Janeiro na próxima sexta-feira (9).

De acordo com o organizador do ato, o presidente estadual do PT Washington Quaquá, a ideia é ter pastores menos midiáticos e mais em contato com a base. "Nas nossas andanças, a gente ouve vários que adoram o Lula, mas acabam não tendo espaço diante desses pastores S.A., esses que viraram empresas", alfineta.

Segundo ele, serão convidados aqueles que, como boa parte da população brasileira, têm enfrentado o desemprego, os efeitos da inflação e simpatizam com o petista.

A militância do partido foi dispensada, para priorizar os religiosos no evento que acontece no Clube Tamoio, no município de São Gonçalo, uma das cidades com maior concentração de evangélicos no estado. Também participa o candidato a vice, Geraldo Alckmin (PSB).

Haverá uma oração em favor de Lula e ele aproveitará para reafirmar que não pretende fechar igrejas, como foi veiculado em grupos de mensagens. "Vamos quebrar essa notícia falsa."

Após os rumores, o PT lançou uma ofensiva para desmenti-lo lembrando que ele sancionou a lei da liberdade religiosa, em 2003 e criou a Marcha para Jesus.