Depois de interromper evento com Lula, Suplicy é recebido por Mercadante para incluir renda mínima no programa do PT

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O vereador Eduardo Suplicy (PT-SP) se encontrou, nesta terça-feira, com o ex-ministro Aloizio Mercadante, na tentativa de incluir a Renda Básica de Cidadania entre as diretrizes do programa de governo da chapa Lula-Alckmin. A reunião acontece cerca de 15 dias depois de Suplicy interromper a fala de Mercadante, no evento que lançou as propostas para a campanha do ex-presidente petista.

Em post no seu perfil no Instagram, Suplicy classificou o encontro como “muito positivo” e disse que a sua proposta “foi bem recebida”.

— Foram consideradas alternativas, como a de começar pelo benefício universal infantil, estendendo até os jovens. Voltaremos a nos reunir em breve para que possamos avançar — destacou o vereador.

— Foram consideradas alternativas, como a de começar pelo benefício universal infantil, estendendo até os jovens. Voltaremos a nos reunir em breve para que possamos avançar — destacou o vereador.

Até então, Mercadante, que coordena o programa de governo da chapa Lula-Alckmin, e Suplicy vinham trocando farpas desde o evento de lançamento das diretrizes. Na ocasião, o vereador pediu a palavra e reclamou da postura do ex-ministro que, segundo ele, não considerou sua proposta de contribuição, que incluía a renda básica de cidadania, uma de suas bandeiras históricas.

— Ele (Mercadante) tem alguma coisa comigo, não me convidou para essa reunião! Mas hoje estou aqui e continuarei trabalhando para que Lula e Alckmin instituam a renda básica de cidadania enquanto eu estiver vivo — disse Suplicy na reunião, ao cortar fala de Mercadante.

Mais tarde, em entrevista ao GLOBO, o vereador disse ter enviado uma carta a Mercadante, que, até então, não havia sido respondida, o que aconteceu depois. Suplicy também disse que tentou abraçar Mercadante após a interrupção do evento, mas ouviu um "não precisa".

Na resposta enviada ao vereador, Mercadante escreveu que a atitude não condiz com o histórico de Suplicy que tem a postura “respeitosa como marca da sua vida pública”. “Sua atitude desrespeitosa e agressiva, durante o lançamento das diretrizes, prejudicou o debate qualificado sobre os grandes desafios do país”, afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos