Depois de Martinho da Vila, música de Adele é comparada com sucesso de Chico Buarque

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

RIO - Estaria a cantora Adele se inspirando na música brasileira para compor suas canções? É o que a internet tem sugerido - depois de ter a música “Million Years Ago” comparada com “Mulheres”, de Martinho da Vila (situação que envolveu até um processo judicial), agora é a vez de “To Be Loved”, do novo disco da cantora, ser apontada como semelhante a “Eu Te Amo”, composição de Chico Buarque e Tom Jobim, de 1980.

O novo disco da queridinha da Inglaterra foi lançado na última sexta-feira. Mal deu tempo de ouvir, mas as audições mais aguçadas já captaram a semelhança na introdução das duas músicas. Um Tweet mostra as duas, tocadas uma depois da outra. Ouça e compare:

A discussão começou na internet e teve a participação de profissionais musicais, que explicaram a que se deve a semelhança. Não se trata de um caso de plágio (ufa! Adele se livrou dessa), mas de um padrão harmônico simples, comum no mundo da música. - O do Chico é uma sequência de acordes com movimento similar, mas em diferentes harmonias, enquanto que a da Adele é simplesmente uma escala descendente no padrão 2-3 1-2 7-1 6-7 e por aí vai. São formas musicais SIMPLES e consideravelmente distintas - explicou um internauta.

A tese foi corroborada em outra resposta: - As notas de "te amo" nesse fraseado estão em sentido crescente e decrescente em escala monocromática acompanhadas pelo baixo, enquanto To be loved está apenas em decrescente em soprano…- elucidou uma fã da cantora. Teve até quem tirasse um tempinho para analisar com calma, como no fio abaixo:

Acusação de plágio

Enquanto a internet se diverte, uma caso semelhante foi levado mais a sério este ano. Toninho Geraes, compositor de “Mulheres”, música de 1995 interpretada por Martinho da Vila, quer que Adele reconheça a inspiração nos créditos do álbum “25”. - Eu não quero brigar, só quero que reconheçam que a minha música está dentro da obra dela", afirmou Geraes, que notificou a gravadora Sony Music, a XL Recordings [gravadora britânica]/Beggars Group [incorporador da XL], a Adele e a Greg Kurstin, produtor de “Million Years Ago”.

O compositor quer receber uma indenização por danos morais, royalties da música e ser creditado como coautor. Foram encomendados até laudos técnicos com três peritos musicais para "destrinchar tecnicamente" as duas obras. Segundo o advogado do caso, Fredímio Biasotto Trotta, - retirando-se os ornamentos e outras notas de apoio, o que resta é um mesmo esqueleto, uma mesma estrutura melódica - relatou ao G1.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos