Depois de registrar a maior sensação térmica do verão, Rio entra em estágio de mobilização com temporal

Após uma sequência de dias de temperaturas amenas e tempo fechado, os cariocas experimentaram, nesta quinta-feira, o recorde de calor deste verão até aqui. De acordo com o Centro de Operações Rio, por meio do Sistema Alerta Rio, a sensação térmica bateu a incandescente marca de 47,3º C às 16h, em Irajá, na Zona Norte da cidade. No início da noite, no entanto, a cidade foi atingida por fortes temporais e ventanias em bairros da Zona Sul, Norte e no Centro. Antes desta quinta-feira, a maior marca registrada neste verão havia sido 46,8°C, no dia 3 de janeiro, em Santa Cruz, na Zona Oeste, dia em que a cidade também foi atingida por fortes temporais durante a tarde.

Em família: Genro é preso no Rio por matar o sogro que não aceitava seu relacionamento com a filha

Barbárie: Motorista de ônibus é indiciado por atropelamento e morte de bombeiro em Copacabana; veja novo vídeo

Segundo o sistema Alerta Rio, núcleos de chuva que ocasionaram pancadas rápidas e fortes na Zona Norte/Centro e Zona Sul seguem para o oceano e podem diminuir nas próximas horas, porém os núcleos de chuva que atuam sob a Zona Oeste, em bairros como Guaratiba,Grota Funda e Recreio, podem provocar ainda fortes pancadas.

O forte calor aliado à elevada umidade e às áreas de instabilidade aumentaram as chances de que pancadas de chuva isoladas e raios ocorressem na noite desta quinta.

Bairros como Copacabana e Botafogo, na Zona Sul, registraram ruas alagadas. O mesmo aconteceu em bairros como a Tijuca, na Zona Norte, e Realengo, na Zona Oeste.

Segundo o Centro de Operações do Rio (COR), foram registrados bolsões d'água na Rua Engenheiro Adel, na altura da Rua Haddock Lobo, na Tijuca, e na Avenida Epitácio Pessoa, na altura da Rua Vinícius de Moraes, no sentido Rebouças.