Depois de seis meses em queda, dívida pública volta a subir em setembro

·1 min de leitura

BRASÍLIA — Depois de seis meses em queda, a dívida pública voltou a subir em setembro, chegando a 83% do PIB. O número foi divulgado pelo Banco Central (BC) nesta sexta-feira.

Em agosto, ela estava em 82,7%, depois de cair mês após mês desde fevereiro, quando atingiu o pico histórico de 89,4% devido aos gastos com a pandemia. Em abril, a relação dívida/PIB já estava em 85,3%, caiu para 83,2% em junho e para 83,1% em julho.

Segundo o BC, o principal motivo para a alta foi a incorporação de juros nominais, e em menor grau, a desvalorização cambial. Já o crescimento da do PIB fez com que o crescimento fosse menor. Como o PIB é denominador da relação com a dívida, quando ele aumenta, o resultado é queda no indicador.

O indicador é acompanhado de perto pelo mercado porque mede a capacidade do país de pagar suas dívidas. O número engloba o resultado do governo federal, o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) e os governos estaduais e municipais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos