Deputada move ação no MPE por apologia a feminicídio contra homem que se 'fantasiou' de goleiro Bruno

·1 min de leitura

Deputada estadual de Manaus (AM), Joana Darc Protetora (PL) formalizou na tarde da última quarta-feira uma representação ao Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE) contra o tatuador Rodrigo Fernandes, por apologia ao crime de feminicídio. O caso ocorreu por ele se “fantasiar” de goleiro Bruno numa festa de halloween numa casa de show da cidade, fazendo uma referência ao assassinato da então namorada do atleta, Eliza Samudio, ocorrido em 2010.

A casa de show que publicou a imagem em suas redes sociais também foi citada na representação da deputada e terá que responder à Justiça.

Também advogada e membro da Comissão de Defesa da Mulher da Aleam, Joana publicou um texto no Instagram repudiando o fato e dizer que a imagem que viralizou nas redes sociais "se trata de uma apologia a um crime cometido contra uma mulher".

"Como mulher, me senti tão mal e ofendida ao ver isso … Revoltante. Isso não é fantasia de halloween, isso é apologia a um crime cometido contra uma mulher que foi estrangulada, esquartejada e morta. Que horror! Não podemos nos calar mulheres! Como membro da Comissão de Defesa das Mulheres da ALEAM, deputada, mãe e mulher comunico que estou denunciando e representando às autoridades", postou.

A deputada lembra ainda que fazer apologia de um fato criminoso ou do autor do crime é um crime que está previsto no Art. 287, do Código Penal e que a pena é detenção de três a seis meses ou multa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos