Deputadas do PSOL querem saber quanto custou a segurança de Bolsonaro em passeio de moto no Rio

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO: Retrato da deputada Sâmia Bonfim (PSOL-SP). (Foto: Julia Chequer/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO: Retrato da deputada Sâmia Bonfim (PSOL-SP). (Foto: Julia Chequer/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - As deputadas federais Sâmia Bomfim (PSOL-SP) e Fernanda Melchionna (PSOL-RS) pediram informações ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, sobre os custos da Polícia Federal e de outros órgãos para fazer a segurança de Jair Bolsonaro durante passeio de moto no Rio de Janeiro, no domingo (23).

No requerimento protocolado na Câmara dos Deputados nesta segunda-feira (24), as deputadas questionam quantos agentes e servidores da PF foram usados para fazer a segurança do presidente na viagem.

Elas também querem saber se agentes da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) participaram da missão e quais foram os protocolos sanitários adotados para proteger os servidores na pandemia.

​"Temos fortes suspeitas de que essa viagem foi paga com dinheiro público. Confirmado isso, ingressaremos no Judiciário para que Bolsonaro devolva o dinheiro. Não é cabível que um presidente utilize avião da FAB e toda a estrutura de aparelho de Estado para ir numa manifestação protofascista e evidentemente de caráter eleitoral", afirma Fernanda.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos