Deputado bolsonarista usa foto de evento militar na China para elogiar desfile da Marinha

·4 minuto de leitura
Deputado federal Otoni de Paula compartilhou foto de evento militar chinês para exaltar desfile de tanques da Marinha do Brasil (Foto: Reprodução)
Deputado federal Otoni de Paula compartilhou foto de evento militar chinês para exaltar desfile de tanques da Marinha do Brasil (Foto: Reprodução)
  • Deputado Otoni de Paula utilizou foto do aniversário de 70 anos de Pequim, na China, em 2019

  • Nas redes sociais, o deputado bolsonarista exaltou o patriotismo da ação da Marinha nesta terça

  • Presidente Jair Bolsonaro recebeu convite da Marinha após desfile de tanques

O deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) utilizou uma foto da China para elogiar o desfile de tanques da Marinha, que aconteceu em Brasília nesta terça-feira (10). 

Na publicação, ele exaltou o ato militar desta manhã. "Nunca uma simples manobra militar mexeu tanto com meu patriotismo", escreveu Otoni de Paula. 

A foto utilizada, no entanto, não mostrava tanques brasileiros, mas chineses. O registro fazia parte da comemoração dos 70 anos de Pequim, na China, realizada na praça Tiananmen, em 2019. A foto, da agência EFE, é uma das primeiras que aparecem em sites de busca ao procurar os termos "desfile militar tanques". 

Leia também

Após a confusão de Otoni de Paula, a publicação virou motivo de piada de opositores. Um dos aspectos mais apontados nas redes sociais foi o fato de o bolsonarista ter usado imagens de um país comunista para exaltar o governo Bolsonaro, que constantemente ataca a esquerda. 

Entenda o evento da Marinha desta terça

<p>Reprodução</p>
Reproduçã

Na manhã desta terça-feira (10), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recebeu o convite da Marinha para a Operação Formosa, treinamento militar que acontecerá no dia 16 de agosto e contará com 2,5 mil militares.

A entrega do convite foi feita ao final de uma exibição de tanques, que passou pela Praça dos Três Poderes e chegou até o Palácio do Planalto, onde o presidente acompanhava o desfile, ao lado do ministro da Defesa, general Braga Netto.

O desfile acontece no mesmo dia em que a Câmara dos Deputados vota a Proposta de Emenda à Constituição para a volta do voto impresso, proposta que tem sido defendida assiduamente pelo presidente da República. A expectativa é que a PEC seja reprovada pelos parlamentares, assim como foi rejeitada na Comissão Especial que tratava do assunto.

Sobre o desfile, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), aliado de Bolsonaro, lamentou a "trágica coincidência" de o evento acontecer no mesmo dia da votação. A Marinha, responsável pelo desfile, negou qualquer relação com a decisão sobre o voto impresso.

Mourão não participou do evento 

BRASILIA, BRAZIL - JUNE 23: Vice President of Brazil Hamilton Mourão and President Jair Bolsonaro arrive for a forum on Borders Protection at Planalto Government Palace on June 23, 2021 in Brasilia, Brazil. (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)
Vice-presidente Hamilton Mourão não esteve no evento nesta terça (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)

O desfile da Marinha com tanques e lançadores de mísseis pelo centro de Brasília nesta terça-feira (10) não contou com a participação do vice-presidente da República, Hamilton Mourão.

Auxiliares do vice teriam considerado o desfile “inoportuno” e aconselharam Mourão, que é general da reserva, a não participar do evento.

Apesar de o treinamento da Marinha ocorrer anualmente desde 1998, é a primeira vez que os tanques passaram pelo centro de Brasília. Maior treinamento militar da Marinha no Planalto Central, a operação está marcada para a semana que vem e terá veículos anfíbios, aeronaves, carros de combate, veículos de artilharia e lançadores de foguetes. Além da participação de 2.500 militares, pela primeira vez na história, o treinamento terá a presença do Exército e da Aeronáutica.

Críticas de Lula ao evento

O ex-presidente Lula (PT) criticou o desfile de tanques que ocorreu na manhã desta terça-feira (10) em Brasília, com o objetivo de entregar um convite ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Para o petista, não há "conversa especial com as Forças Armadas", pois os militares devem ser tratados como qualquer outra instituição.

"Não tem carta pra conversar com militares. Se tivesse carta seria para o povo brasileiro e dentro disso estão os militares. Se militar quiser fazer política ele renuncia o cargo, tira a farda e se candidata. Não tem problema", afirmou Lula nas redes sociais.

SAO PAULO, BRAZIL - MARCH 10: Former Brazilian President Lula da Silva holds a press conference at the metalworkers' union building in Sao Bernardo do Campo, in Sao Paulo, Brazil on March 10, 2021. (Photo by Cris Faga/Anadolu Agency via Getty Images)
Ex-presidente Lula usou as redes sociais para se pronunciar sobre o assunto (Foto: Cris Faga/Anadolu Agency via Getty Images)

Já fui chefe das Forças Armadas, eles sabem como tem que se comportar. Cuidando da nossa soberania, dentro da Constituição. O Bolsonaro se comporta como se as Forças Armadas fosse um objeto particular dele, como se fosse um brinquedo."

"Não tem conversa especial com Forças Armadas, vou tratá-los com respeito, como temos que tratar todas as instituições. Isso que aconteceu hoje foi uma coisa patética. Se o Bolsonaro queria uma foto com militar era só ter visitado um quartel", declarou o petista.

Posicionamento de João Doria

Além de Lula, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), também se posicionou contra o desfile de tanques, que classificou como "desnecessário".

"O inédito e desnecessário desfile de tanques de guerra na Praça dos Três Poderes é uma clara ameaça à democracia. E tem o repúdio dos brasileiros de bem. A iniciativa é mais um flerte com o autoritarismo. O Brasil quer democracia, respeito à constituição e liberdade", disse o tucano.

Bolsonaro acompanhou o desfile do Palácio do Planalto:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos