Deputado Carlos Jordy vai recorrer de sentença que favorece Felipe Neto

Carol Marques
1 / 2

neto1

Deputado Carlos Jordy vai recorrer de sentença que favorece Felipe Neto

Condenado a pagar uma multa de R$ 35 mil por danos morais a Felipe Neto, o deputado federal pelo PSL do Rio de Janeiro, Carlos Jordy vai recorrer da sentença e está confiante num ganho de causa.

“Vamos reverter. Além do juízo não ter respeitado a minha prerrogativa como deputado, especificamente, a imunidade parlamentar, julgou errado, atropelando todo rito, sem audiência de conciliação nem instrução. Mas estou tranquilo, a decisão não tem fundamento, muito menos o foro”, justifica ele, que foi condenado em 1ª instância.

Procurado pelo Extra para comentar a declaração do deputado Carlos Jordy, Felipe Neto ressaltou:

“O deputado apenas demonstra o comportamento já bastante conhecido, colocando-se acima da juíza e achando que está acima da lei. A imunidade não pode ser utilizada para atacar reputações com o objetivo de destruir opositores no ambiente digital, longe do espaço de trabalho de um parlamentar, como a juíza deixou bem claro em sentença. Tenho a convicção de que os desembargadores deixarão ainda mais claro em segunda instância”.

Caso seja mantida a setença favorável ao youtuber, ele já sabe o destino que dará ao dinheiro da indenização. “Todo o dinheiro será doado para o Instituto Marielle Franco e o projeto Ocupa Sapatão, resultado de anos de luta de Marielle. A ideia é usar o dinheiro de um deputado reacionário, hostil e que constantemente luta contra tudo o que Marielle representava, a favor dela”, justifica Felipe Neto, que, inicialmente, pedia R$ 50 mil de indenização por danos morais. A sentença foi da juíza Bianca Ferreira do Amaral Machado Nigri, da 1ª Vara Cível da Barra da Tijuca.

O deputado federal Carlos Jordy, do PSL do Rio de Janeiro, também foi condenado a fazer uma retratação pública pela postagem que tentou ligar Felipe Neto ao massacre de Suzano, em São Paulo.

“Quando digo que pais não devem deixar os filhos assistirem vídeos do Felipe Neto, não é brincadeira. Em 2016, ele fez vídeo ensinando a entrarem em sites da deepweb. Agora descobriram que os assassinos de Suzano pegaram as informações para o massacre num dos sites após assistirem ao vídeo”, publicou Jordy.