Deputado conservador dos EUA foi drag queen no Brasil

Filho de brasileiros, Santos é o primeiro republicano abertamente gay a ganhar uma cadeira no Congresso sem ser candidato à reeleição

George Santos afirma ser um deputado conservador e teria omitido ter sido drag queen no Brasil (REUTERS/Elizabeth Frantz)
George Santos afirma ser um deputado conservador e teria omitido ter sido drag queen no Brasil (REUTERS/Elizabeth Frantz)

Eleito deputado nos Estados Unidos com discurso homofóbico e transfóbico, apesar de ser abertamente gay, George Anthony Devolder Santos, teria sido drag queen durante estadia no Brasil. Entenda:

Mas o que aconteceu para ele ter tanto destaque?

  • Ele foi o primeiro membro abertamente gay do Partido Republicano, mesmo se declarando deputado conservador, a vencer as eleições para o Congresso

  • Republicano, ele venceu em Nova York, um dos centros do Partido Democrata

  • Logo que assumiu, porém, ele foi centro de um escândalo por falsificar seu currículo

  • No Brasil, foi acusado de cometer estelionato

  • Boa parte dos republicanos querem que ele renuncie, mas George se nega

  • Após defender muitas pautas conservadoras, foi revelado agora que ele era drag queen no Brasil

Quem diz que George Santos era drag queen?

Uma artista brasileira de 58 anos, que usa o nome de Eula Rochard, disse que fez amizade com o agora congressista quando ele estava se travestindo em 2005 no primeiro desfile do orgulho LGBTQIA+ em Niterói, no Rio de Janeiro. Três anos depois, Santos competiu em um concurso de beleza de drag queens no Rio, disse Rochard.

Outra pessoa de Niterói que conhecia o congressista mas pediu para não ter seu nome revelado, disse que Santos participou de concursos de beleza de drag queens e aspirou a ser Miss Gay Rio de Janeiro.

Essas informações foram obtidas pela Reuters.

Rochard disse ainda à agência que o congressista era uma "drag pobre" em 2005, com um simples vestido preto, mas que em 2008 "ele voltou para Niterói com bastante dinheiro" e um vestido rosa flamboyant para mostrar.

"Mudou muito, mas sempre foi mentiroso. Sempre era muito sonhador", disse Rochard à Reuters.

Quem é George Santos?

Santos é o primeiro republicano abertamente gay a ganhar uma cadeira no Congresso sem ser candidato à reeleição, mas se posicionou como um conservador convicto em muitas questões sociais.

Filho de brasileiros, ele criou a seguinte narrativa durante as eleições para a Câmara dos EUA:

  • filho de imigrantes brasileiros e neto de judeus que teriam fugido do Holocausto

  • formado em duas universidades públicas de Nova York

  • financista de sucesso em Wall Street

  • dono de 13 propriedades

  • dono de um lar que cuidou de mais de 2500 cães e gatos abandonados

Ele chegou a afirmar ter trabalhado em dois dos mais importantes bancos norte-americanos:

  • Goldman Sachs

  • Citibank

No entanto, currículo de Santos inclui apenas uma passagem pela Harbor City Capital, empresa com falência decretada depois de ser acusada pela Comissão de Valores Mobiliários de ser um esquema de pirâmide financeira.

E como descobriram as mentiras?

Uma reportagem do New York Times revelou diversos furos nessa biografia, como a ausência de registros de que ele havia estudado nas universidades ou trabalhado em duas importantes empresas de Wall Street das quais afirmou ter sido funcionário. Após uma semana de silêncio, Santos admitiu nesta terça-feira ter "floreado" a sua trajetória.

Burlando a lei dos EUA

Segundo o The Wall Street Journal, Santos não divulgou nenhuma receita advinda de Harbor City nos formulários que os candidatos são obrigados a preencher ao concorrerem a um cargo no governo.

Projeto "Não diga gay"

George apoiou o projeto de lei "não diga gay" da Flórida, que proíbe a discussão em sala de aula sobre orientação sexual e identidade de gênero.

Os republicanos estão denunciando cada vez mais os shows e performances de drag queens, alegando que eles são prejudiciais às crianças.

Santos, respondendo em outubro às críticas de seu apoio ao projeto de lei "não diga gay", disse ao USA Today: "Sou abertamente gay, nunca tive um problema com minha identidade sexual na última década, e posso lhes dizer e garantir, sempre serei um defensor do pessoal LGBTQ".