Deputado do Centrão deve relatar caso Eduardo Bolsonaro x Míriam Leitão

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
O deputado federal Eduardo Bolsonaro debochou de tortura sofrida por jornalista na ditadura militar. Foto: Andressa Anholete/Getty Images.
O deputado federal Eduardo Bolsonaro debochou de tortura sofrida por jornalista na ditadura militar. Foto: Andressa Anholete/Getty Images.
  • Presidente do Conselho de Ética vai indicar Hiran Gonçalves, do PP

  • Eduardo Bolsonaro debochou de tortura sofrida por jornalista

  • Caso ocorreu no começo de abril

O presidente do Conselho de Ética da Câmara, o deputado federal Paulo Azi (DEM), deverá indicar, nesta quarta-feira (25), o deputado federal Hiran Gonçalves (PP-RR) para ser relator do processo disciplinar contra Eduardo Bolsonaro (PSL) por fazer deboche da tortura sofrida jornalista Míriam Leitão durante a ditadura militar.

Hiran Gonçalves, colega de partido de Ciro Nogueira, disse, segundo o jornal O Globo, que falou com Azi e ainda não tem uma “posição preconcebida” de como será conduzida a relatoria dele.

Relembre

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) ironizou, no começo de abril, a tortura sofrida pela jornalista Miriam Leitão, do jornal O Globo, durante a ditadura militar.

Em 1972, ela foi colocada grávida com uma jiboia em uma sala escura. Além disso, ela foi agredida fisicamente. No Twitter, o parlamentar e filho do presidente Jair Bolsonaro (PL) escreveu: “Ainda com pena da cobra”.

Eduardo Bolsonaro havia compartilhado uma reportagem de Miram Leitão que dizia que o erro da terceira via é tratar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PL) e Bolsonaro como iguais. Na coluna, ela classificou que Bolsonaro é "inimigo da democracia".

Nas redes sociais, jornalistas de diferentes veículos e políticos repudiaram a fala do deputado.

No começo de maio, o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados abriu um processo para apurar o caso.

Depois da publicação de Eduardo Bolsonaro, o PSOL e o PCdoB protocolaram representações contra o deputado federal no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. Ambos os pedidos têm como objetivo cassar o mandato do filho 03 do presidente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos