Deputado do PT denuncia Michelle Bolsonaro por campanha eleitoral antecipada

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Michelle Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Michelle Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • Deputado petista denuncia Michelle Bolsonaro por campanha eleitoral antecipada

  • Esposa do presidente Jair Bolsonaro fez pronunciamento em rede nacional de televisão e rádio

  • Ao lado da ministra Cristiane Britto, ela falou sobre o que é ser mãe e citou programas do governo direcionados às mulheres

O deputado federal Rui Falcão (PT-SP) protocolou nesta segunda-feira (9) uma representação na Procuradoria Geral Eleitoral contra a primeira-dama Michelle Bolsonaro e a ministra da Mulher e dos Direitos Humanos, Cristiane Britto, por campanha eleitoral antecipada e improbidade administrativa. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

Na noite de domingo (8), no Dias das Mães, elas fizeram um pronunciamento em rede nacional de televisão e rádio. A esposa do presidente Jair Bolsonaro (PL) e a titular da pasta da Mulher falaram sobre o que é ser mãe e citaram programas do governo direcionados às mulheres.

Os advogados que assinaram a denúncia fazem parte do grupo Prerrogativas —que reúne juristas de esquerda.

Eles afirmam que o discurso realizado por ambas segue “roteiro clássico das propagandas eleitorais de manuais de publicidade” e busca reduzir a resistência do eleitorado feminino a Bolsonaro. O mandatário tem uma alta rejeição entre as eleitoras brasileiras.

“Foi para atingir essa finalidade eleitoreira que Michelle Bolsonaro, a Primeira-Dama, se apresentou com uma mãe sensível, como uma mulher conhecedora das dificuldades de tantas mães brasileiras e que poderia, justamente por isso, atuar em benefício das eleitoras influenciado seu marido na tomada de decisões que favoreçam as brasileiras”, diz o documento.

Segundo informou o jornal Folha de S. Paulo, o uso de cadeia de TV e rádio para esse fim jamais foi adotado pela gestão Bolsonaro nos três anos anteriores, em 2019, 2020 e 2021.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos