Deputado estadual fura fila da vacinação contra covid-19 em Minas Gerais

·2 minuto de leitura
Professor Irineu tem 63 anos e vacinação era destinada a pessoas de 65 (Foto: Reprodução)
Professor Irineu tem 63 anos e vacinação era destinada a pessoas de 65 (Foto: Reprodução)
  • Deputado estadual Professor Irineu foi vacinado de forma irregular

  • Ele tem 63 anos e vacinação era para pessoas a partir de 65 anos

  • Caso será encaminhado à Assembleia Legislativa de Minas Gerais

O deputado estadual por Minas Gerais Professor Irineu (PSL) furou a fila de vacinação contra a covid-19. A informação foi confirmada pela Prefeitura de Betim, na Grande BH, onde ocorreu o caso.

Professor Irineu tem 63 anos. No dia 14 de abril, data em que poderiam se vacinar as pessoas com 65 anos, ele foi ao centro de saúde Vila Cristina e recebeu o imunizante contra a covid-19. Segundo o jornal Estado de Minas, a prefeitura de Betim ouviu servidores envolvidos na vacinação e concluiu que o deputado, de fato, se vacinou de forma irregular.

Leia também

Para conseguir furar a fila, Professor Irineu teria burlado a etapa da triagem, quando é verificada a idade da pessoa, e foi diretamente para a sala de vacinação da unidade de saúde. Assim, os documentos dele não foram conferidos.

Os profissionais da saúde só souberam que o deputado estadual do PSL não fazia parte do grupo atendido após a aplicação da dose da vacina.

Nas redes sociais, o parlamentar afirmou que ligou na unidade e perguntou se poderia tomar o imunizante contra a covid-19. A resposta foi positiva, mas, quando chegou, avisaram que só poderiam ser vacinadas pessoas a partir dos 65 anos.

Em seguida, ele relata, teriam informado que ele poderia se vacinar na “xepa”, ou seja, caso sobrassem imunizantes. Ele afirma que isso aconteceu. Professor Irineu foi ao posto de saúde por volta das 14h, ou seja, antes do fim do expediente no local.

Nas redes sociais, ele ressaltou que não houve legalidade. “O deputado esclarece que não tem nenhuma ilegalidade na vacinação, uma vez que foi imunizado e recebeu o comprovante com a marcação da segunda dose”, postou.

A prefeitura de Betim encaminhou o caso para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais.