Deputado estadual Gil Vianna (PSL) morre no RJ, vítima de covid-19

Arthur Leal e Selma Schmidt
Gil Vianna (PSL) tinha 54 anos e estava internado há uma semana. Foto: Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro

O deputado estadual Gil Vianna (PSL), de 54 anos, morreu na noite desta terça-feira (19), vítima de Covid-19. Ex-oficial da PM e do Exército, ele estava internado desde a última semana – terça-feira (12) –  no Hospital da Unimed, em Campos dos Goytacazes, sua cidade natal, no Norte Fluminense, interior do estado.

O parlamentar teve uma piora repentina no quadro e não resistiu. Fontes ligadas a ele afirmaram que, ainda na noite desta terça, um dos filhos visitou o hospital e conseguiu se comunicar à distância com o pai. Pouco depois, por volta das 22h, o deputado estadual precisou ser intubado às pressas e, segundo informações preliminares, não resistiu ao procedimento, tendo uma parada cardíaca.

Leia também:

Na segunda-feira, em última atualização divulgada por sua assessoria, Vianna vinha respondendo bem ao tratamento e seu estado era considerado estável pelos médicos.

“Meus amigos, infelizmente perdemos nosso Gil, nosso companheiro. Estou propondo amanhã suspendermos todas as atividades, exceto às 15h quando abriríamos, faríamos uma homenagem a ele. Encerraríamos a sessão e aí três dias de luto oficial", disse o presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), André Ceciliano (PT), em áudio enviado aos demais parlamentares da Casa.

Gil Manhães Vianna Júnior, filho de Gil Manhães Vianna (garçom) e Getúlia Santos Arêas Vianna (do lar), nascido no dia 10 de julho de 1965 na cidade de Campos dos Goytacazes, RJ. Assim se apresentava o parlamentar em suas redes sociais.

O parlamentar serviu ao exercito em 1984 e em 21 de Abril de 1986 entrou na Polícia Militar onde fez carreira, encerrando como 2º Sargento. No ano de 2005 foi coordenador do time de vôlei feminino do Flamengo em Campos dos Goytacazes. Começou sua carreira política no ano de 2004, ainda não sendo eleito com 1.900 votos no partido PMN. Em 2008 com 4.975 votos no partido PSDC se tornou vereador pela primeira vez em Campos. Em 2012 foi reeleito com 4.328 votos no partido PR.

"Casado com Andrea Araújo Cordeiro Vianna, pai de quatro filhos Bruno, Gabriel, Laura e a minha filha Gabriela – que faleceu – que me ensinou a brigar pelos direitos e melhores condições para as crianças especiais, por ter tido uma filha especial, estarei sempre abraçando esta bandeira", descreveu em seu perfil.

Em 2017, Gil Vianna assumiu o posto de deputado estadual, sendo reeleito em 2018 pelo PSL, com 28.636 votos. Defesa dos direitos das pessoas com deficiências e servidores públicos e militares eram suas principais bandeiras.

Logo após a confirmação da morte do deputado estadual, no fim da noite desta terça, muitos colegas de plenário e políticos prontamente se manifestaram com pesar.

"Meus sentimentos à família do meu amigo Gil Vianna. Cara do bem, trabalhador e meu colega de partido quando deputado estadual no Rio. Que Deus o tenha e conforte sua família", publicou o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos), filho do presidente Jair Bolsonaro.

O deputado federal Wladimir Garotinho (PSD) também lamentou a morte de Vianna em sua rede social:

"Ainda sem saber o que escrever, com falta de ar e sem entender. Gil tinha apenas 54 anos, boa saúde e felicidade em viver! Esse vírus maldito não escolhe as pessoas, ele é altamente contagioso e cada um tem uma reação diferente", diz trecho de publicação feita pelo deputado federal.

O ex-governador Anthony Garotinho, que tem sua origem em Campos dos Goytacazes, também se manifestou: "À família nossos sentimentos e que Deus console o coração dos amigos e parentes.", escreveu em sua página.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.