Deputado Gil Diniz fica três dias na UTI por Covid-19 depois de 'proibir' máscaras em gabinete

MÔNICA BERGAMO
·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 15.02.2019 - O deputado estadual Gil Diniz (PSL). (Foto: Bruno Santos/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 15.02.2019 - O deputado estadual Gil Diniz (PSL). (Foto: Bruno Santos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O deputado estadual paulista Gil Diniz (sem partido), que pôs um aviso na porta de seu gabinete na Assembleia Legislativa de SP (Alesp) "proibindo" o uso de máscara contra a Covid-19, ficou internado por sete dias por conta da doença —sendo três dele na UTI.

"Foi um período extremamente difícil, mas, para mim, pedagógico", afirmou o parlamentar bolsonarista em sessão virtual com os deputados da Alesp na tarde desta quinta (1º).

"Vi casos de óbito, também de pessoas que sairam curadas. Foi um momento de reflexão, de agradaecer muito a Deus pela minha vida, por estar com vocêss no parlamento de São Paulo, a honra que eu tenho de ser deputado", segue Diniz, que foi eleito sob a alcunha de Carteiro Reaça.

Ele passou uma semana internado no hospital Santa Marcelina de Itaquera, na zona leste da capital paulista.

"Fico muito feliz de ter a minha saúde reestabelecida. Ter passado, olhando nos olhos desse virus maldito, que tem tirado a vida de muitos brasileiros e paulsitas. Temos que enfrentá-lo e colcoar todas as nossas forças e recursos para enfrentar esse que é o principal problema do país, do estado e porque não do mundo, nesse momento", afirmou o deputado, que ainda agradeceu a um enfermeiro chamado Wagner que cuidou dele.

"Ele me tratou com humildade e me deu uma aula de humanidade."

Diniz pendurou um aviso na porta de seu gabinete na Alesp dizendo "Proibido o uso de máscara neste gabinete”. O sinal tinha o desenho de uma máscara sobreposta por um x vermelho e o logo do Governo de SP rasurado com a palavra “Desgoverno”.

Em fevereiro, Diniz disse tratar-se de uma brincadeira. “Teve uma deputada [Mônica Seixas] que representou contra dois deputados que não usaram máscara no plenário. O Frederico D’Ávila [deputado do PSL] colocou um cartaz no gabinete dele dizendo que máscara era opcional. Para ironizar, fiz a plaquinha”, conta ele.