Deputado cria projeto que já é apelidado como 'Neymar da Penha'

Michel Jesus/Câmara dos Deputados

A polêmica envolvendo Neymar e acusação de estupro feito por Najila Trindade chegou à Câmara dos Deputados. O caso foi base para um novo projeto de lei protocolado pelo deputado Carlos Jordy (PSL-RJ).

O projeto agrava a pena de denunciação caluniosa de crimes contra a dignidade sexual. Uma vez aprovado, faz com que acusadores mentirosos sobre crime de estupro possam ter suas penas aumentadas em até um terço.

Leia também

"Denunciações caluniosas já são graves e absurdas por si só, mas quando envolvem estupro, isso destrói a vida do acusado porque não existe crime mais abjeto do que esse. Isso deixa todo mundo indignado. Sem dúvida alguma, o momento atual foi determinante para que apresentássemos o PL”, disse o deputado ao Estadão.

O caso

Na última sexta (31), Najila Trindade Mendes registrou um boletim de ocorrência na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, em São Paulo, acusando o atacante Neymar por estupro no dia 15 de maio, em Paris.

No boletim de ocorrência, a mulher afirmou que conheceu o jogador pelo Instagram e foi convidada para viajar até a França. No dia 15, Neymar teria chegado embriagado ao hotel e, segundo a mulher, ele ficou agressivo e praticou relações sexuais sem consentimento.

A denúncia foi noticiada no dia seguinte, 1º de junho. Logo depois, o pai de Neymar apareceu no programa ‘Brasil Urgente’, da Band, e tentou descreditar a versão da mulher.

Na noite do dia 1º, Neymar postou um vídeo em sua conta do Instagram se defendendo das acusações e mostrando a conversa que teve com a mulher, incluindo fotos íntimas enviadas por ela.

Na quarta-feira (04 de junho), Najila Trindade Mendes apareceu publicamente e reafirmou o que disse no boletim de ocorrência: que foi agredida e estuprada. Na mesma noite, um vídeo de Najila agredindo Neymar foi divulgado, supostamente do dia seguinte ao ato sexual, quando a mulher exigia uma confissão do jogador.