Deputado questiona o governo sobre paralisação do empréstimo consignado no estado

Camilla Pontes
·1 minuto de leitura
Sem o sistema, os servidores não conseguem solicitar novos empréstimos com as instituições financeiras
Sem o sistema, os servidores não conseguem solicitar novos empréstimos com as instituições financeiras

O sistema do empréstimo consignado do estado está sem funcionar desde maio, desde então, os servidores, aposentados e pensionistas não conseguem solicitar novos créditos e nem acessar a margem consignável — valor máximo que pode ser usado do salário para pagar um empréstimo.

Na tentativa de buscar respostas, o deputado estadual Luiz Paulo (sem partido) enviou, no último dia 26, um ofício para a Casa Civil perguntando quais são os motivos da paralisação e qual é a previsão do governo para o reestabelecimento do sistema.

"Atravessamos um momento de extrema dificuldade econômica no Estado. Muitos servidores estão com familiares desempregados. Em alguns casos, somente através dos empréstimos que podem pagar suas contas. É fundamental que o Governo restabeleça o serviço de empréstimo consignado. Isto é um direito dos servidores públicos", comentou Luiz Paulo.

Leia mais: Nova licitação do consignado não foi para frente por má gestão, conclui nota técnica

Em nota, as secretarias da Casa Civil e de Planejamento e Gestão informaram que trabalham para a contratação de uma nova empresa que realize os serviços de administração e controle de margem consignada. "Todas as solicitações feitas pelo deputado serão respondidas", afirmaram as pastas no comunicado.