Deputado suspeito por assassinato compõe nova Comissão de Ética da Alerj

·1 minuto de leitura

A nova composição da Comissão de Ética da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) conta com o deputado Vandro Família (Solidariedade) em seus quadros. O parlamentar já foi alvo de pelo menos duas operações policiais e é suspeito de ser o mandante do assassinato de um adversário político. A informação foi originalmente publicada pela TV Globo.

Em 2012, Vandro Família foi preso e denunciado pelo Ministério Público no âmbito de uma operação que o apontava como chefe de uma milícia que atuava em Magé, município da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Na ocasião, ele foi denunciado por homicídio qualificado.

Sete anos mais tarde, em 2019, ele foi apontado como suspeito de ter sido o mandante do assassinato de Paulo Henrique Dourado Teixeira, o Paulinho P9, seu adversário político.

Em março deste ano, Vandro Família foi reeleito presidente da Comissão de Obras Públicas da Alerj.

O deputado afirma que as acusações contra ele foram "plantadas pela oposição" do município de Magé, onde ele chegou a ser vice-prefeito. Vandro Famiília também lembrou que não foi condenado nesses processos.

Pelo regimento interno da Alerj, a composição da Comissão de Ética deve mudar a cada dois anos. Até hoje, a Casa não julgou Vandro Família nos processos que correm contra ele.

Questionada, a Alerj não respondeu quais são os critérios adotados para aceitação dos membros do seu Conselho de Ética. O Conselho é responsável por analisar processos contra os deputados e casos em que o decoro seja quebrado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos