Deputados avisam ao STF que Daniel Silveira não ficará na CCJ

Daniel Silveira foi indicado para integrar a Comissão de Constituição e Justiça (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Daniel Silveira foi indicado para integrar a Comissão de Constituição e Justiça (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

Resumo da notícia

  • Deputados disseram ao STF que Daniel Silveira não ficará na CCJ

  • Após receber indulto de Bolsonaro, Silveira foi indicado para a Comissão de Constituição e Justiça

  • Comissão é considerada a mais importante da Câmara

Um grupo de parlamentares avisou ao Supremo Tribunal Federal que o deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) não ficará na Comissão de Constituição e Justiça. A informação foi revelada pela jornalista Andréia Sadi, do g1.

A CCJ é considerada como o principal grupo de trabalho da Câmara dos Deputados. Segundo Sadi, os deputados não veem problemas em Silveira integrar outras comissões, mas CCJ é de suma importância. O grupo é responsável por analisar se projetos que passam pela Casa estão de acordo com a Constituição Federal, e também avalia casos de cassação de deputados.

A nomeação de Daniel Silveira para integrar a Comissão de Constituição e Justiça, que aconteceu na última quarta-feira (27), foi considerada uma afronta ao Supremo Tribunal Federal.

O deputado foi julgado pelo STF e foi condenado a oito anos e nove meses de prisão. No entanto, Silveira recebeu um indulto do presidente Jair Bolsonaro, permitindo que ele ficasse no cargo de deputado federal.

Além de estar na CCJ, Daniel Silveira vai ser titular das comissões de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, Esporte e Cultura e também suplente na Comissão de Educação.

Bolsonaro "orgulhoso" do indulto

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a exaltar o próprio indulto, concedido por ele ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ). Bolsonaro esteve em um evento na cidade de Paragominas, no Pará, onde participou de um evento com apoiadores e discursou.

"Vocês viram durante a semana um ato do presidente da República, uma pessoa que estava sendo injustiçada. Isso que eu fiz não é apenas para aquele deputado, é para todos vocês. A nossa liberdade não pode continuar sendo ameaçada", declarou Bolsonaro, sem citar Silveira diretamente.

"Dizia a vocês que me senti orgulhoso e feliz comigo mesmo pela decisão tomada", afirmou. Daniel Silveira foi condenado a oito anos e nove meses de prisão pelo Supremo Tribunal Federal, no inquérito que apura a organização de atos antidemocráticos.