Deputados brigam durante sessão da Assembleia de SP

Sérgio Roxo

SÃO PAULO. A sessão da noite desta quarta-feira da Assembleia Legislativa de São Paulo teve briga entre deputados. A confusão começou quando o parlamentar Arthur do Val (sem partido), conhecido como Mamãe Falei, discursava na tribuna e passou a atacar e provocar servidores simpatizantes do PT que estavam na galeria.

Mamãe Falei, que pertence ao Movimento Brasil Livre (MBL) e foi expulso recentemente do DEM, chamou os servidores de "bando de vagabundos" e disse que eles estavam ali porque ganharam mortadela. Os servidores vaiaram e deram as costas ao deputado, que desafiou os simpatizantes do PT. A sessão discutia a proposta da reforma da Previdência do estado de São Paulo.

Deputados do PT protestaram contra a fala do colega. O presidente da Assembleia, Cauê Macris (PSDB), pediu que Mamãe Falei não usasse palavras de baixo calão contra as pessoas na galeira. O parlamentar prosseguiu o seu discurso e insinuou que o líder do PT na Casa, Teonilio Barba, teria recebido vantagens indevidas para apoiar o projeto de lei do governador João Doria (PSDB) IncentivAuto, que garantiu benefícios fiscais para fabricantes de veículos.

Nesse momento, Barba saiu correndo em direção à tribuna. Chegou a preparar um soco, mas foi seguro pelo colega Ênio Tatto. Mamãe Falei também cerrou os punhos e chamou o petista para briga. Na sequência, houve uma confusão generalizada, com empurrões entre os deputados. No microfone, o presidente da Assembleia pediu que a Polícia Militar fosse chamada para "proteger o deputado".