Deputados criticam Maia por defender ação contra emendas de relator, criadas na gestão dele

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  07-03-2018: O presidente da câmara deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) durante entrevista exclusiva à Folha. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, 07-03-2018: O presidente da câmara deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) durante entrevista exclusiva à Folha. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O deputado Rodrigo Maia (sem partido-RJ) virou alvo de colegas na semana passada por ter defendido a decisão da ministra Rosa Weber, do STF (Supremo Tribunal Federal), contra emendas de relator.

Eles lembram que esse uso surgiu na gestão de Maia na Presidência da Casa, em 2019, quando o Congresso emplacou valor de R$ 30 bilhões das chamadas RP-9.

Após acordo com o governo, então pressionado, o relator manteve cerca de R$ 20 bilhões sob seu controle para 2020, o que se repetiu em 2021.

Mas há diferença. Maia viveu em atrito com Bolsonaro, o que dificultou o uso das RP-9 com o volume e intensidade que é realizado agora.

Maia afirma que a ideia da criação desse tipo de emenda foi de Cacá Leão (PP-BA) que, por coincidência, diz ele, é líder do PP hoje, partido de Arthur Lira (AL).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos