Deputados do PSL confirmam que Bolsonaro decidiu deixar o partido

Foto: AP Photo/Eraldo Peres

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta terça-feira (12) que deixará o PSL e espera criar uma nova legenda até março de 2020, disseram deputados no Palácio do Planalto.

Daniel Silveira (PSL-RJ), Bia Kicis (PSL-DF), Carlos Jordy (PSL-RJ), Coronel Chrisóstomo (PSL-RO) e Leo Motta (PSL-MG) confirmaram a saída do presidente ao deixarem o Palácio do Planalto, onde estavam reunidos com Bolsonaro. Horas depois, o próprio presidente realizou o anúncio em uma rede social.

Leia mais sobre a crise no PSL

Flávio, senador pelo Rio de Janeiro, já protocolou a saída do PSL junto ao Tribunal Superior Eleitoral.

O deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) disse que todos parlamentares que estão alinhados com o presidente deixarão o PSL para o novo partido, mas os deputados devem esperar a janela de migração partidária.

Diversos atritos entre Bolsonaro e o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, resultaram na saída do presidente da legenda. Em outubro, Bolsonaro disse a um apoiador para “esquecer” o partido, dizendo que Bivar estava “queimado para caramba”.

Jair Bolsonaro tem um histórico amplo de troca de partidos. O PSL foi a oitava legenda que contou com o atual presidente em seus quadros. Antes, ele esteve nas seguintes siglas: PDC, PPR, PPB, PTB, PFL, PP e PSC.

Segundo o deputado Nereu Crispin (PSL-RS), o novo partido deve se chamar Aliança pelo Brasil e o presidente convidou todos a participarem.

Já no próximo dia 21 deve haver uma convenção do novo partido, segundo a deputada Bia Kicis (PSL-DF).

***Com informações da Reuters