Deputados espanhóis aprovam projeto de eutanásia em primeira leitura

·1 minuto de leitura
(Fevereiro) Grupo se manifesta em frente à Câmara dos Deputados, em Madri, contra a lei sobre a eutanásia

A Câmara dos Deputados da Espanha aprovou nesta quinta-feira, por ampla maioria e em primeira leitura, um projeto de lei que garante o direito à eutanásia sob condições estritas, apesar da oposição da Igreja Católica e da oposição conservadora.

O texto foi aprovado por 198 a 138 e duas abstenções, e passará ao Senado no ano que vem. O projeto prevê que uma pessoa que sofre de doença grave, incapacitante ou incurável, possa ter uma morte assistida se assim o solicitar, para evitar um sofrimento intolerável. Os profissionais que não desejarem participar de uma eutanásia poderão declarar sua "objeção de consciência". O custo do procedimento será reembolsado pelo Seguro Social.

"É um dia importante para toda a cidadania, porque avançamos para uma sociedade mais humana e mais justa, mas, principalmente, é um dia importante para aquelas pessoas que se encontram em situação de grave sofrimento, e também para suas famílias e pessoas próximas", reagiu o ministro da Saúde, Salvador Illa. Segundo ele, as pesquisas mostram "um amplo apoio" da sociedade espanhola à eutanásia.

"É uma derrota para todos, um fracasso do nosso sistema de saúde e da nossa sociedade", criticou o deputado José Ignacio Echániz, do opositor Partido Popular. "Frente à eutanásia e ao suicídio assistido, defendemos os cuidados paliativos, o tratamento profundo da dor, a sedação paliativa, a vontade de viver."

emi/CHZ/hba/jz/mb/lb