Deputados russos aprovam emenda para proteger Grupo Wagner

Os deputados russos aprovaram uma emenda à lei que pune com até 15 anos de prisão quem publicar informações falsas ou com a intenção de desacreditar os grupos armados privados que lutam na Ucrânia, como é o caso do Grupo Wagner.

Esta é uma extensão das leis aprovadas pelo governo russo há um ano com a intenção de reprimir as críticas contra a chamada "operação militar especial".

A emenda tinha sido pedida em janeiro pelo líder do Grupo Wagner. Evgeny Prigozhin pediu para os seus homens a mesma proteção que os soldados regulares russos têm.

A emenda aprovada pela Duma contrasta com a decisão tomada pelo Parlamento lituano, que, esta terça-feira, declarou o grupo Wagner um grupo terrorista. Na resolução, afirma-se que desde o início da invasão mercenários russos perpetraram graves e sistemáticos crimes de agressão equivalentes a terrorismo.

Para a ofensiva russa, o grupo Wagner é crucial, embora a batalha de Bakhmut tenha trazido à tona sérias tensões entre a liderança do grupo e o Exército.