Deputados vão novamente ao STF tentar suspender votação da PEC dos Precatórios

·1 min de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 24.09.2019 - Plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 24.09.2019 - Plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A defesa de um grupo de deputados federais tanto de esquerda como de direita vai pedir novamente ao STF (Supremo Tribunal Federal) a anulação da votação que aprovou a PEC (proposta de emenda à Constituição) dos Precatórios em primeiro turno.

O mandado de segurança foi rejeitado pela relatora, Rosa Weber.

O advogado dos parlamentares, Arthur Rollo, vai alegar que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), , não respondeu a todos os questionamentos feitos pelos impetrantes e por isso a ação não perdeu o objeto.

A defesa argumenta que pediu a lista completa de parlamentares licenciados ou em missão diplomática e quais deles voataram a favor da PEC e que Lira não concedeu a relação completa.

A ação é assinada por Joice Hasselmann (PSL-SP), Júnior Bozella (PSL-SP), Alessandro Molon (PSB-RJ), Fernanda Melchionna (PSOL-RS), Kim Kataguiri (DEM-SP), Marcelo Freixo (PSB-RJ) e Vanderlei Macris (PSDB-SP).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos