Deputados vinculados à PM defendem coronel afastado por Doria e atacam o Supremo

·1 minuto de leitura

RIO E SÃO PAULO — Em meio à preocupação de governadores com a politização das Polícias Militares (PMs), deputados com passagem pela corporação têm usado as redes sociais para defender o coronel da PM de São Paulo Aleksander Lacerda, afastado pelo governador João Doria após defender uma manifestação de apoio ao presidente Jair Bolsonaro, e atacar o Supremo Tribunal Federal (STF).

Também há mensagens direcionadas a policiais da ativa e aposentados, insuflando a presença deles no ato — a atuação política de quem ainda exerce o serviço é vedada.

Levantamento feito pelo GLOBO encontrou publicações feitas nos últimos dias por sete ex-PMs eleitos para as Assembleias locais ou para a Câmara.

Em São Paulo, os deputados estaduais Major Mecca (PSL) e Coronel Telhada (PP) criticaram o afastamento do coronel. Com 127 mil seguidores no Instagram e 717 mil no Facebook, Mecca afirmou que os governadores “não possuem feudos”, enquanto Telhada, ícone da categoria policial nas redes sociais, com 2,3 milhões de seguidores no Facebook e 641 mil no Instagram, chamou os apoiadores à manifestação “contra a ditadura que se está querendo implantar no Brasil e em São Paulo”. Ambos têm passagem pela Rota, batalhão de elite da PM paulista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos