Derrotamos Bolsonaro, mas precisamos derrotar o ódio e os fanáticos, diz Lula

Lula participa de cerimônia em Brasília

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira que ainda é preciso derrotar o ódio, o fanatismo, as mentiras, e que a negação da política levou ao surgimento de uma “extrema-direita raivosa” no mundo.

"Nós derrotamos o Bolsonaro, nós temos que derrotar o ódio, temos que derrotar a mentira, os fanáticos", disse o presidente durante um encontro com reitores de universidades e institutos tecnológicos federais.

"Porque essa sociedade tem que voltar a ser civilizada, a sorrir... tem que voltar a gostar da gente ser humanista, ser mais fraterno, ser mais solidário. Temos que voltar a gostar mais um dos outros, porque estamos todos no mesmo barco”, acrescentou.

Lula voltou a dizer que a negação da política, que aconteceu em várias partes do mundo, levou ao renascimento de uma extrema-direita raivosa em vários países, entre eles o Brasil e os Estados Unidos.

Na quarta-feira, em entrevista à GloboNews, Lula já havia dito que, em sua viagem aos Estados Unidos, pretende conversar com o presidente norte-americano, Joe Biden, sobre uma forma de reação internacional a essa nova extrema-direita.