Desaceleração econômica freia número de bilionários na China; dono do Alibaba perde 4 posições

O número de bilionários da China caiu 11% este ano, o maior declínio em 24 anos, de acordo com a Hurun China Rich List publicada na terça-feira, que inclui indivíduos com fortuna superior a 5 bilhões de yuans (US$ 691 milhões). O fundador do Alibaba, Jack Ma, que já foi o homem mais rico da China, cai da 5ª para a 9ª posição depois de perder 29% de sua riqueza, para US$ 25,7 bi.

Desta vez, apenas 1.305 pessoas entraram na classificação, um decréscimo de 11% em relação ao ano passado, o maior registrado em duas décadas. Além disso, a riqueza global desses bilionários também caiu 18%, para US$ 3,5 trilhões.

As fortunas dos megarricos da China foram atingidas pela estrita política de zero Covid de Pequim, que interrompe a produção e as cadeias de suprimentos. Também foram prejudicadas pela queda nas bolsas de valores após uma campanha de controle de dois anos contra a indústria de tecnologia e pela volatilidade geopolítica causada por eventos como a guerra na Ucrânia.

De acordo com a lista Hurun, os setores imobiliário e de saúde foram particularmente atingidos. As três pessoas mais ricas do país são as mesmas de um ano atrás, com Zhong Shanghan, fundador da empresa de água engarrafada Nongfu Spring, na liderança, com US$ 65 bilhões.

Quase 300 pessoas saíram da lista este ano, a maioria do setor imobiliário, que enfrenta uma grave crise de dívidas após uma série de restrições impostas pelo governo em 2020.