Desaparecidos em Angra: foco das buscas agora é por ex-companheiro de mulher encontrada morta

·3 minuto de leitura

RIO — O delegado Vilson de Almeida Silva, da 166ª DP (Angra dos Reis), que investiga o caso do casal que desapareceu no mar de Angra dos Reis, no último dia 22, disse, na noite desta segunda-feira, que após o aparecimento do corpo de Cristiane Nogueira de Silva, de 48 anos, todo o foco agora será voltado para a localização do ex-companheiro dela, Leonardo Machado de Andrade, de 50, assim como da embarcação na qual os dois saíram para apreciar o pôr do sol num passeio pela Baía da ilha Grande.

— Os bombeiros me informaram que as buscas vão continuar amanhã (terça-feira), com equipes na Marambaia, Pedra de Guaratiba e por aqui, na Baía da Ilha Grande. A autópsia não encontrou sinal de violência (no corpo de Cristiane) e a gente segue tentando localizar o Leonardo e embarcação — disse o delegado.

Até a noite desta segunda-feira, a família ainda não havia tomado uma decisão sobre o sepultamento de Cristiane. O filho dela, Guilherme Brito informou que os parentes estavam divididos entre enterrar num jazigo da família e cremar o corpo. Numa postagem feita numa rede social, em que se despedia da mãe, o rapaz reforçava o amor e admiração que sentia por ela:

"Você sabia de todos os meus planos, sabia de toda minha vida, era minha melhor amiga, melhor conselheira, a melhor mãe do mundo! Você era luz, era vida, por onde passava deixava tudo mais alegre, você viveu como queira, era como se fosse uma força da natureza! vá em paz minha mãe."

Guilherme e outros parentes da corretora de imóveis reconheceram no Instituito Médico-Legal, na tarde desta segunda-feira, o corpo da mulher, que estava desaparecida após sair para um passeio no mar de Angra dos Reis. Ao deixar o local, Guilherme disse que todos estavam muito abalados com a morte de Cristiane. O rapaz revelou que ainda tinha esperança de encontrar a mãe viva.

— Foi uma tragédia, não sabemos ao certo o que aconteceu. Agora vai ficar nas mãos das autoridades. Pelo menos sabemos que ela está com Deus. Agora é com a polícia. Só queria minha mãe de volta, esperava encontrá-la viva — lamentou Guilherme.

Pamella Britto, também filha de Cristiane, agradeceu o apoio recebido pelas redes sociais e da imprensa:

— O corpo foi reconhecido. É sim a nossa mãe, mas não temos muito o que falar. Agradeço a mobilização de todos. Muito obrigada — disse Pamella, bastante emocionada.

Como a perícia não encontrou sinais de violênca no corpo de Cristiane, a Polícia Civil suspeita que o barco onde estava o casal desaparecido em Angra dos Reis tenha tenha afundado. A embarcação não foi encontrada nas buscas feitas ao longo da semana. De acordo com o delegado, a localização do barco será fundamental para esclarecer o caso:

— Enquanto não encontrarmos o barco, não descartamos nada. Mas há indícios de naufrágio.

Ainda de acordo com o delegado, as primeiras informações apontam que apenas Cristiane e Leonardo foram vistos no barco. Mas a polícia ainda não descarta a presença de outras pessoas.

— A informação, do caseiro, é que os dois saíram de barco. Agora, que só estavam os dois no barco (ainda não podemos confirmar), não encontramos o barco ainda. Mas foram vistos só os dois saindo no barco.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos