Descobertos na Polônia restos mortais de 8 mil vítimas do nazismo

Cerca de 17,5 toneladas de cinzas humanas foram descobertas e exumadas perto de um antigo campo de concentração nazista na Polônia, anunciou nesta quarta-feira o Instituto da Memória Nacional (IPN), que faz investigações sobre os crimes nazistas e comunistas.

História: Áustria inaugura memorial em homenagem a milhares de judeus vítimas do nazismo do país

Alois Hitler: Cartas inéditas revelam influência do pai sobre Hitler

Os restos foram exumados em Ilowo Osada, no bosque Bialucki, perto do antigo campo de concentração de Dzialdowo (Soldau, em alemão, 150 quilômetros ao norte de Varsóvia), construído durante a ocupação da Polônia pela Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial.

Desde a invasão da Polônia, em setembro de 1939, o campo de Soldau serviu como local de trânsito, internação e extermínio de opositores políticos, membros das elites polonesas e judeus.

Alguns cálculos indicam que 30 mil presos morreram em Soldau, mas até agora as fontes históricas não permitem certificá-los.

Em Moscou: Cartazes acusam suecos famosos, como Bergman, de apoiar o nazismo

— A descoberta deste local permite afirmar que pelo menos 8 mil pessoas morreram aqui — informou Tomasz Jankowski, procurador do IPN. As vítimas enterradas nessa fossa provavelmente foram assassinadas por volta de 1939 e pertenciam, em sua maioria, às elites polonesas.

O número é calculado pelo peso dos restos. Dois quilos de cinzas correspondem, aproximadamente, a um corpo.

Em 1944, ordenou-se que presos judeus exumassem os corpos e os incinerassem para apagar as marcas dos crimes de guerra nazistas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos