Descumprir ‘ordem judicial é impensável’, diz Botafogo em reposta a protesto de jogadores

·1 min de leitura

O Botafogo emitiu uma nota oficial em resposta “a lei do silêncio” ao qual os jogadores do clube pretendem seguir em protesto a pagamentos atrasados. Os atletas alegam que enquanto os valores não foram pagos, não irão conceder entrevistas coletivas ou exclusivas a veículos de imprensa. Na carta, enviada ao “ge”, o elenco e a comissão técnica destacaram que esperam “uma solução da diretoria sobre o ocorrido” e que não descartam “outras medidas até o fim de semana”.

O clube em seu comunicado oficial, informou que “sempre foi transparente quanto à realidade financeira e vem mantendo diálogo permanente com os jogadores, informando os movimentos internos em busca de soluções”. O Botafogo esclareceu que todos os funcionários, incluindo atletas, que recebem até 60 salários mínimos estão com seus pagamentos em dia. E que apenas três atletas que recebem acima deste teto ainda aguardam a parte complementar.

O Botafogo também informou que há atraso no pagamento de direitos de imagens de 17 atletas por causa de pendências judiciais. Mas alegou que “o valor, suficiente para estes ajustes e para o pagamento da folha de novembro, encontra-se depositado em juízo à espera da liberação dos magistrados”. E frisou que descumprir “ordem judicial é impensável”.

Por fim, o clube disse que antecipou R$ 600 mil em prêmios aos jogadores. E que “respeita a manifestação dos atletas”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos