Desemprego e violência diminuem aprovação de Duque na Colômbia

·1 minuto de leitura
Indígenas a bordo de 'chivas' - veículos de transporte coletivo locais - participam de carreata em Bogotá na paralisação nacional contra o governo do presidente Iván Duque, em 21 de outubro de 2020
Indígenas a bordo de 'chivas' - veículos de transporte coletivo locais - participam de carreata em Bogotá na paralisação nacional contra o governo do presidente Iván Duque, em 21 de outubro de 2020

A rejeição à gestão do presidente Iván Duque cresceu em outubro na Colômbia, onde cada vez menos habitantes se preocupam com a pandemia e mais com o desemprego e a insegurança, segundo uma pesquisa revelada nesta quinta-feira (29). 

De acordo com a pesquisa Gallup Poll da empresa Invamer, 61% dos entrevistados disseram desaprovar "a forma como está desempenhando" o presidente conservador, um aumento de seis pontos em comparação com agosto.

Sua popularidade ficou em 31%, contra 38% na medição anterior, de acordo com a pesquisa telefônica realizada com 1.200 pessoas nas principais cidades do país, entre 16 e 26 de outubro, com margem de erro de 5%.

Embora a pesquisa não tenha perguntado sobre a gestão governamental do coronavírus, detectado pela primeira vez na Colômbia em 6 de março, ela ressalta que apenas 4% dos entrevistados o identifica como o principal problema.

A preocupação pela pandemia é amplamente superada pelo desemprego e a economia (24%) ou a corrupção (25%), inclusive a insegurança (9%).

dl/gm/aa