Desemprego no Brasil cai a 13,7% no trimestre maio-julho

·1 minuto de leitura
Pessoa segura carteira de trabalho, em junho de 2019 (AFP/MAURO PIMENTEL)

A taxa de desemprego no Brasil atingiu 13,7% no trimestre móvel de maio-julho, o que representa a menor taxa até agora neste ano e a queda de um ponto percentual em relação ao período anterior, que registrou 14,7% - conforme dados oficiais divulgados nesta quinta-feira(30).

Em números absolutos, ainda há 14,1 milhões de pessoas procurando trabalho no país, o que representa 676 mil a menos que no trimestre móvel encerrado em abril, indicou o último relatório do IBGE.

Em comparação com o período de maio a julho de 2020, quando a economia foi gravemente impactada pela pandemia do coronavírus e por suas medidas de contenção, a taxa de desemprego permaneceu estável (13,8%).

A expectativa média de 26 consultorias e instituições financeiras entrevistadas pelo jornal Valor Econômico era de uma taxa de desemprego de 13,9%, no trimestre encerrado em julho.

O IBGE explicou que a queda se deve, principalmente, ao fato de a população ocupada ter subido para 89 milhões de pessoas, um aumento de 3,6% em relação ao trimestre encerrado em abril, e de 8,6%, frente ao mesmo trimestre em 2020.

"Essa é a primeira vez, desde o trimestre encerrado em abril de 2020, que o nível de ocupação fica acima de 50%, o que indica que mais da metade da população em idade para trabalhar está ocupada no país", disse a analista do relatório, Adriana Beringuy, citada pelo portal de notícias G1.

No entanto, 40,8% da população ocupada é composta de trabalhadores informais, ou seja, 36,3 milhões de pessoas. Este número representa um aumento, na comparação com os 39,8% registrados no trimestre encerrado em abril, e 37,4%, no trimestre móvel maio-julho de 2020.

val/app/yow/jc/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos