Desemprego no Chile cai para 8,5% no último trimestre

·1 minuto de leitura
(Arquivo) Pessoas fazem fila para obter informação sobre seguro-desemprego, do lado de fora da sede da Sociedade de Administração de Fundos de Desemprego, em Santiago, 6 de abril de 2020 (AFP/MARTIN BERNETTI)

A taxa de desemprego no Chile caiu para 8,5% no trimestre móvel de junho a agosto, o que se traduz em uma queda de 4,4 pontos percentuais interanual - informou o Instituto Nacional de Estatística (INE) nesta quinta-feira (30).

O número surge após um processo gradual de suspensão das restrições impostas pela pandemia do coronavírus.

As medidas foram revogadas pelo governo, em parte, devido à diminuição de casos e de mortes por covid-19, resultado da avançada campanha de vacinação. Hoje, 13,4 milhões de pessoas estão imunizadas de uma população total de 19 milhões.

No pior momento da pandemia, o desemprego atingiu 13,1% da população economicamente ativa do país.

O Chile registra, atualmente, uma média de 500 casos diários e menos de uma dúzia de mortes por covid-19, acumulando 1,6 milhão de infecções e mais de 37.000 mortes.

Na sexta-feira (1º), o governo suspenderá o estado de exceção por catástrofe em vigor há 19 meses e que inclui, desde então, toque de recolher noturno. As fronteiras também serão reabertas para estrangeiros não residentes.

As projeções oficiais indicam que o Produto Interno Bruto (PIB) do Chile pode crescer até 9,5% este ano, acompanhando um aumento do preço do cobre e uma maior adaptação da economia local às restrições aplicadas pela pandemia.

apg/dg/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos