Deserto do Atacama vira 'cemitério' de roupas usadas

O comércio de roupas de segunda mão é um negócio consolidado no Chile. Importadores trazem para o país peças rejeitadas em mercados como os de Estados Unidos, Europa e Ásia para revender em suas regiões e em outros países da América Latina. No entanto, mais da metade das 60 mil toneladas de peças de roupa que chegam ao país todo o ano terminam em aterros clandestinos no deserto do Atacama, o que gera graves consequências ao meio ambiente e à comunidade local. Um dos motivos disso é o avanço da indústria da fast-fashion no mundo – setor conhecido por suas roupas baratas e de má qualidade, que vão parar no lixo com mais rapidez. Confira no vídeo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos