Desfalcado, Little Mix joga para a plateia e agrada, mas faz show curto em SP

Jade Thirlwall, do Little Mix, durante show na Inglaterra em 2029. Foto: Joseph Okpako/WireImage

O Little Mix já chegou desfalcado para jogar seu pop dançante para a plateia do GRLS!, na noite de encerramento do festival, neste domingo (8), em São Paulo. Perrie Edwards, uma das integrantes do quarteto, não veio ao Brasil por estar doente, e as outras teriam que cobrir a ausência sem que o show perdesse a força.

Não é a primeira vez que o Little Mix se apresenta ao vivo sem Perrie, mas era a estreia do grupo no Brasil e poderia deixar má impressão inicial. 

Jesy Nelson, Leigh-Anne Pinnock e Jade Thirlwall conseguiram fazer bem o show sem a colega, mas o fato de terem encurtado o set list (foi 1h10, e sem bis) pode ter sido reflexo da ausência de Perrie ou até adequação ao que consideraram adequado cantar sem ela. 

Aliás, a preocupação em mostrar que as três cantam foi nítida. Nos telões do Memorial da América Latina, onde ocorreu o GRLS!, não faltaram closes na boca das moças nos momentos em que entoam as canções. Normalmente, artista que faz playback não se deixa mostrar dessa forma. 

Vídeos, aliás, também serviram para mostrar que o Little Mix é um grupo engajado em causas como empoderamento feminino e bullying. 

O grupo tem fãs ardorosos. As cantoras são idolatradas e retribuíram com um set de músicas com forte tom emotivo. É o caso de 'Secret Love Song', que levou muita gente às lágrimas, com cenas de choro explícito exibidas nos telões do Memorial. 

'Shout Out to My Ex' foi anunciada como a preferida da ausente Perrie. 'Então nos ajudem a cantar', pediu Jesy. O público ouviu e obedeceu pulando, animadíssimo. 

O Little Mix também entrou no clima do Dia Internacional da Mulher, celebrado na data do show. 'Olhe para a moça do seu lado. Ela é linda e poderosa', disse Jade.

Enfim, tudo que se refere ao LM como grupo foi visto no palco: a energia aeróbica das três cantoras, as vozes poderosas, o engajamento, e até a interação com o público. Mas o setist é do ano passado, não teve uma única mexida e foi apenas encurtado. Teria sido um pouco de preguiça ou será que, sem Perrie, as colegas são competentes, mas preferiram não arriscar com novidades?