França celebra feriado nacional e Macron alerta que guerra na Ucrânia 'vai durar'

Paris organizou nesta quinta-feira (14) o tradicional desfile militar por ocasião do feriado nacional de 14 de julho, num contexto marcado pela guerra na Ucrânia que, segundo o presidente francês Emmanuel Macron, vai "durar" e obrigará o país a viver sem o gás russo.

"Todos temos que nos preparar para que esta guerra dure. O verão e o início do outono (boreal) serão, sem dúvida, muito difíceis", declarou o chefe de Estado francês em entrevista aos canais France 2 e TF1, pouco depois de participar do desfile militar nos Champs Elysées.

Em um momento em que a guerra na Ucrânia afeta o crescimento e eleva os preços da energia e dos alimentos, "temos que nos preparar para ficar sem o gás russo", alertou Macron, acrescentando que o Estado preparará um "plano de austeridade energética".

O presidente fez essas declarações em um contexto político interno complexo, após o revés de sua coalizão nas eleições legislativas de junho que o deixaram sem maioria absoluta.

No total, cerca de 6.300 pessoas desfilaram, quase 5.000 delas a pé. O espetáculo mobilizou 64 aviões, um drone, 25 helicópteros, 200 cavalos e 181 veículos motorizados.

A parada incluiu nove países convidados, muitos vizinhos da Rússia ou Ucrânia: Estônia, Letônia, Lituânia, Polônia, República Tcheca, Eslováquia, Hungria, Romênia e Bulgária.

Tropas francesas recentemente posicionadas no flanco leste da Europa também marcharam.

Desde o início da guerra na Ucrânia, a França reforçou suas missões na região. Cerca de 500 soldados franceses foram destacados em caráter de emergência no final de fevereiro na Romênia, no âmbito da Otan.

A França também está envolvida em missões de reforço aéreo e terrestre na Estônia, e seus caças Rafale ajudam a proteger os céus poloneses.

Levando em consideração o contexto da guerra na Ucrânia, mas também de inflação, o presidente francês anunciou na noite de quarta-feira uma nova lei de programação militar (LPM) 2024-2030 para "ajustar os meios às ameaças".

- Ciberinvestigadores -

Em 2017, o presidente iniciou um claro aumento dos gastos com defesa após anos de contenção.

O orçamento militar aumentará em 2022 e, em 2023, receberá mais 3 bilhões, chegando a 44 bilhões de euros.

Mas o conflito na Ucrânia revelou as deficiências na máquina de defesa da França, por exemplo, em termos de munição.

Cerca de 125.000 forças de segurança foram mobilizadas em todo o país para o feriado nacional.

Os "coletes amarelos" anunciaram a intenção de se manifestarem na tarde desta quinta-feira na capital.

À noite, fogos de artifício vão encerrar a festa em muitas regiões do país, que atravessa uma onda de calor extremo e com uma parte do território em alerta de incêndio.

Entre os que desfilam pela Champs Elysées estão 14 unidades de tropas da Marinha, comemorando seu 400º aniversário. E pela primeira vez, ciberinvestigadores da gendarmaria participam do desfile.

Nesta edição também são exibidos os novos equipamentos do exército francês, como o veículo blindado de reconhecimento Jaguar, juntamente com o blindado Griffon de nova geração.

A apresentação aérea, do qual participam vários aviões europeus, apresenta pela primeira vez o drone Reaper, utilizado no Sahel para localizar e matar jihadistas.

dab/fz/bow/es/zm/mr/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos