Desflorestação na Amazónia brasileira atinge novo patamar

A desflorestação na Amazónia brasileira atingiu um novo patamar. Os ambientalistas alertaram para uma "corrida à devastação" antes da transição governo que deverá conduzir a uma maior proteção da floresta tropical.

O novo Presidente do Brasil Lula da Silva assumiu o compromisso de "desflorestação zero", depois anos de destruição da Amazónia. Os dados preliminares de satélite mostraram que foram destruídos cerca de 904 quilómetros quadrados em outubro. O valor mensal mais elevado desde o início da monitorização em 2015.