Desistência de Datena ao Senado abre disputa no PL e cabe a Bolsonaro decidir

Carla Zambelli e Marco Feliciano
Carla Zambelli e Marco Feliciano são os principais nomes do PL que querem disputar uma vaga ao Senado. (Foto: Reprodução/Câmara dos Deputados)

A notícia divulgada na quinta-feira (30) de que o apresentador José Luiz Datena não vai mais disputar o Senado, animou alguns bolsonaristas que querem a vaga. Entre os interessados está a deputada federal Carla Zambelli (PL), uma das principais interlocutoras do presidente Jair Bolsonaro na Câmara.

Mas de acordo com informações do jornalista Paulo Cappelli, do portal Metrópoles, Zambelli só será candidata caso Bolsonaro “determine”.

Interlocutores da deputada tem recomendado que ela só saia como candidata ao Senado se o presidente se envolver com a sua campanha. Este ano haverá apenas uma vaga para o Senado pelo estado de São Paulo.

Por outro lado, após a desistência de Datena, a bancada evangélica do Congresso começou a articular em favor da candidatura de Marco Feliciano, também do PL, ao Senado.

Ter uma cadeira no Senado é crucial para Bolsonaro, já que cabe à Casa deliberar, entre outros temas, sobre o impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal.

Em 2021, os senadores foram responsáveis pelo desgaste do Planalto na CPI da Covid. Agora, o Senado pode instaurar a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do MEC (Ministério da Educação), cujo foco são as tratativas do pastor Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação.

O ex-ministro chegou a ser preso pela Polícia Federal no mês passado acusado de corrupção passiva e tráfico de influência.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos