Desistência da indicação de Eduardo à embaixada nos EUA já tem cerca de uma semana

Foto: Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images
Foto: Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images

Com o agravamento da crise no PSL, o desgaste da imagem do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL) ficou ainda maior, minando de vez as chances de uma indicação para assumir a embaixada brasileira em Washington. A indicação já era questionada por senadores próximos ao Planalto desde que o presidente da República - e pai do deputado- , Jair Bolsonaro (PSL), afirmou que faria, no início de julho.

Em condição de anonimato, uma fonte no Senado Federal afirmou ao Yahoo! Brasil que a ideia já tinha sido abortada há pelo menos uma semana, quando a briga dentro do PSL se tornou pública. Além do surgimento de mais uma crise, o Planalto já sabia que não teria os votos, mesmo após meses tentando conquistar os senadores.

Leia também

Há certeza de, pelo menos, 35 votos contrários à indicação - número que poderia ficar ainda maior com os votos secretos. A votação para aprovar um nome para embaixadas brasileiras é feita de maneira secreta no plenário do Senado. Para aprovar um nome à embaixada, são necessários pelo menos 41 votos dos 81 senadores.