Deslizamento de terra em ilha da Itália deixa ao menos um morto e 10 desaparecidos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma mulher morreu e cerca de dez pessoas estão desaparecidas na ilha italiana de Ischia, no golfo de Nápoles, depois que fortes chuvas causaram deslizamento de terra neste sábado (26).

"Uma pessoa foi confirmada morta, uma mulher. Oito pessoas foram encontradas, incluindo uma criança, e ainda há cerca de outras dez desaparecidas", disse o prefeito de Nápoles, Claudio Palomba, em entrevista.

Chuvas torrenciais atingiram o porto de Casamicciola Terme, uma das seis pequenas cidades da ilha, na madrugada deste sábado, provocando inundações, derrubando prédios e deslizamentos de terra que arrastaram árvores e veículos.

Setenta brigadistas estão trabalhando no resgate, disse o corpo de bombeiros no Twitter. Mas ainda há dificuldades nas operações porque as condições climáticas não são estáveis, afirmou o Ministro do Interior Matteo Piantedosi a repórteres em Roma.

Anteriormente, houve confusão sobre o número de mortos nos comunicados emitidos por dois ministérios. O vice-primeiro ministro e Ministro da Infraestrutura, Matteo Salvini, chegou a dizer durante um evento em Milão que oito pessoas haviam sido mortas.

Ischia é uma ilha vulcânica a cerca de 30 km de Nápoles que atrai visitantes por seus banhos termais. A região é densamente povoada e tem casas construídas ilegalmente, que correm risco permanente de deslizamentos, inundações e terremotos.

Em 2006, um deslizamento de terra matou um pai e suas três filhas na ilha.

O sul da Itália, onde construções foram erguidas em áreas irregulares e inseguras, é suscetível a deslizamentos como um ocorrido em 1998 na aldeia de Sarno, quando ao menos 150 pessoas morreram.

A primeira-ministra Giorgia Meloni afirmou que estava em contato com o Ministro da Proteção Civil, Nello Musumeci, e o Departamento de Proteção Civil.

"O governo agradece às equipes de resgate empenhadas na busca pelos desaparecidos", disse Meloni.