Deslizamentos no Paraná: ao menos 30 pessoas estão desaparecidas, dizem bombeiros

Há dezenas de desaparecidos após deslizamentos em rodovia no Paraná (Foto: Reprodução/ Redes sociais)
Há dezenas de desaparecidos após deslizamentos em rodovia no Paraná (Foto: Reprodução/ Redes sociais)
  • Bombeiros relataram que ao menos 30 pessoas estão desaparecidas após deslizamentos

  • Rodovia em Guaratuba, no Paraná, foi atingida pela terra após as fortes chuvas na região

  • Trabalho no local está sendo prejudicado pelas tempestades e há risco de desabamento da rodovia

Autoridades divulgaram nesta quarta-feira (30) atualizações sobre os deslizamentos em Guaratuba, no Paraná, que mataram pelo menos duas pessoas. De acordo com os bombeiros, cerca de outras 30 estão desaparecidas nos escombros.

O Corpo de Bombeiros do estado explicou que ao menos 16 carros foram "engolidos" pelos deslizamentos na BR-376 na última segunda (28). No entanto, não é possível determinar o número exato de vítimas porque não se sabe quantas pessoas estavam dentro de cada veículo.

"A gente não tem como precisar o número exato de vítimas porque o veículo vai de uma pessoa a cinco pessoas. Por isso estamos trabalhando com a hipótese de termos de 30 a 50. Então, essa é a maior dificuldade: saber quantas pessoas estavam no interior do veículo", explicou o comandante coronel Vasco.

Os bombeiros pediram que familiares que procuram pessoas que podem estar entre as vítimas entrem em contato pelo telefone (41) 3361-7242, para ajudar as autoridades na identificação.

Até o momento, 19 contatos sobre possíveis vítimas foram recebidos. Entre eles, alguns relatando o desaparecimento das mesmas pessoas, o que aumenta a chance de elas, de fato, estarem no local.

Dificuldade no resgate

A Defesa Civil do estado explicou que o trabalho de busca e resgate das vítimas está sendo atrapalhado pela chuva, que cai de forma ininterrupta na região.

Segundo as autoridades, as tempestades podem causar novos transtornos. Há, inclusive, o risco de o trecho atingido pelo deslizamento desabar se a água insistir em cair.

"Essa terra tem um peso muito grande sobre a pista, e uma pista que está sobre uma região suspensa, correndo o risco, inclusive, de desabar a pista. É um cenário muito complexo de ser trabalhado", declarou o coordenador da Defesa Civil do Paraná, coronel Fernando Shunig, ao portal g1.