Deslocamento de concreto causa lentidão na linha 15-prata do monotrilho de São Paulo

*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 10-01-2014, 11:02: Viagem experimental do monotrilho da futura linha 15-prata do Metrô, zona leste de São Paulo (SP). (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 10-01-2014, 11:02: Viagem experimental do monotrilho da futura linha 15-prata do Metrô, zona leste de São Paulo (SP). (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um deslocamento de concreto causa atrasos na operação dos trens da linha 15-prata do monotrilho de São Paulo desde as 4h40 desta quarta (11). Segundo o Metrô, a falha foi detectada durante uma inspeção após o horário de pico matutino.

Não há viagens entre as estações Vila Prudente e Vila União, e 30 ônibus da operação Paese (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência) atendem os passageiros.

O trecho entre as estações Camilo Haddad e Vila Prudente foi interditado às 10h para reparos. "Também serão feitos serviços de manutenção para prevenção de novos destacamentos", afirma o Metrô, em nota.

Nas redes sociais, passageiros reclamaram de atrasos e transtornos para embarque na linha 15-prata. "Estou há mais de 30 minutos tentando embarcar em um dos trens, mas não consigo, e nem mesmo trocando de estação estou conseguindo", escreveu um usuário do transporte.

Por volta das 7h50, o Metrô informou em uma rede social que um dos trens da linha 1-azul apresentou falha na estação Luz, causando a redução da velocidade na operação.

O deslocamento de parte da estrutura não é o primeiro problema do tipo na linha 15-prata. Em setembro do ano passado, um bloco de concreto caiu de uma altura de 15 metros sobre uma ciclovia na avenida Luiz Inácio Anhaia Mello, na zona leste da capital.

Em 2020, o estouro de um pneu lançou uma placa de metal que caiu na avenida Sapopemba e paralisou a linha durante cerca de cem dias.