Desmanches clandestinos com 1.500 motos são fechados em SP

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Três desmanches clandestinos foram fechados nesta quinta-feira (29) na região central da capital paulista após uma operação conjunta entre o Detran-SP (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo), a Polícia Civil e a Subprefeitura da Sé. Foram encontradas cerca de 1.500 motocicletas já cortadas, que seriam comercializadas de maneira ilegal. O Detran-SP avalia que as peças apreendidas valem aproximadamente R$ 1 milhão. Foram necessários 15 caminhões para fazer a retirada dos materiais clandestinos. O departamento diz que os estabelecimentos fechados não tinham autorização para comercializar peças usadas e que as vendas eram feitas sem nota fiscal. Os itens também não possuíam cadastro no órgão, como exige a lei estadual. Durante a operação, que recebeu o nome de "Fur Partes", foram feitas 17 vistorias administrativas, além do cumprimento de sete mandados de busca e apreensão. Cinco autuações foram feitas. Os donos dos estabelecimentos, que não tiveram os nomes divulgados, responderão a procedimentos administrativos e também poderão ser alvos de processos criminais por causa da atividade ilegal. O departamento diz que quem souber do funcionamento de desmanches clandestinos pode fazer denúncias à Ouvidoria do Detran-SP. Para isso, é preciso acessar o site do órgão e procurar a área de atendimento. Consultar procedência Nos desmanches credenciados e regulares, todas as peças comercializadas recebem uma etiqueta que contém um número de série único e um QR code. Os materiais são cadastrados pelas empresas no sistema online do Detran. O consumidor pode consultar a procedência das peças pelo aplicativo ou pelo site do Detran-SP.