Desmantelada conspiração de golpe de Estado na Alemanha

25 pessoas detidas na Alemanha envolvidas em conspiração para derrubar o Governo. Ex-deputada da extrema-direita está entre os detidos

Vinte e cinco pessoas foram presas na Alemanha sob suspeita de conspirar um ataque ao Parlamento, derrubar o Governo e impor uma espécie de monarquia imperial no país.

Entre os detidos está a juíza e antiga deputada do partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha, Birgit Malsack-Winkemann e um aristocrata de 71 anos.

As operações de busca e detenção ocorreram por toda a Alemanha e, segundo as autoridades germânicas, expuseram as atividades de uma organização que classificaram como "terrorista".

A ministra germânica do Interior, Nancy Faeser, anunciou que "as investigações permitem vislumbrar o abismo de uma ameaça terrorista do movimento "Cidadãos do Reich". De acordo com o estado da investigação, a organização suspeita de terrorismo, hoje descoberta, baseia-se em fantasias mútuas de derrocada e ideologias conspiratórias".

A organização terá sido fundada há um ano, de acordo com as informações das autoridades. Mas o que terá levado às detenções, esta quarta-feira foi o facto de alguns membros do movimento terem pertencido às forças militares.

"São os antigos soldados da Bundeswehr que têm acesso às armas, que são muito bem treinados, como forças especiais na altura. E é precisamente deles, dizem os investigadores, que emana o perigo. Ali, os preparativos, com exercícios de tiroteio e assim por diante, também já tinham começado. E foi por isso que eles também disseram: Agora tem de haver detenções", refere o jurista Frank Braeutigam.

As detenções não se limitaram à Alemanha. A polícia italiana prendeu um cidadão alemão em Perugia.