Desmatamento na Amazônia bate recorde em 12 anos, mostra relatório do ISA

·1 minuto de leitura

RIO — Um levantamento divulgado nesta quarta-feira pelo Instituto Socioambiental aponta que, em 2020, a taxa de desmatamento na Amazônia Legal Brasileira foi a maior em 12 anos. Em dois anos do governo de Jair Bolsonaro, cerca de 48,3% das áreas protegidas foram devastadas. As mais atingidas foram as terras indígenas.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) sustentam a pesquisa ao mostrar que, somente no ano passado, 1.085.100 hectares foram destruídos. O Pará lidera como estado mais atingido pelo desmatamento.

As Unidades de Conservação de Uso Sustentável administradas pelo governo federal foram as mais afetadas, com alta de 129,8% na taxa de desmatamento. A gestão das UCs federais é feita pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, autarquia vinculada ao Ministério do Meio Ambiente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos